Fonte: www.itaucultural.org.br

Gravador, desenhista, ilustrador. Aldemir Martins (Ingazeiras CE 1922) é um dos fundadores da Sociedade Cearense de Artes Plásticas, Scap, nos anos 40. Funda, também, o Grupo Artys, com Mário Barata, Barbosa Leite, Antônio Bandeira e João Maria Siqueira em 1942. Expõe individualmente pela primeira vez em 1946, na sede do Instituto dos Arquitetos do Brasil de São Paulo, IAB/SP. Em 1947, em São Paulo, integra o Grupo dos 19 e, em 1950, cursa gravura com Poty, no Museu de Arte de São Paulo, Masp. Em 1985, lança o livro Linha, Cor e Forma, em que registra a trajetória de sua obra. Paralelamente à atividade de gravador e pintor, faz ilustrações para jornais e livros. Participa do Salão Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro, 1945; Bienal Internacional de São Paulo, várias edições entre 1951 e 1994; Salão Paulista de Arte Moderna, São Paulo, 1954/1955/1958; Bienal de Veneza, 1956; Pintores Brasileiros do Passado, Kassel, Alemanha, 1962; Feira de Arte de Estocolmo, Suécia, 1982; 100 Obras Itaú, no Masp, São Paulo, 1985; Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP, 1986; Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal de São Paulo, 1994; Off Bienal, no MuBE, São Paulo, 1996; Os Colecionadores Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, no Centro Cultural Fiesp, São Paulo, 1998.


NASCIMENTO
1922 - Ingazeiras CE - 8 de novembro

LOCAIS DE VIDA
1945/1946 - Rio de Janeiro RJ
1946 - São Paulo SP

FORMAÇÃO
1949 - São Paulo SP - Faz curso de história da arte com Pietro Maria Bardi
1950 - São Paulo SP - Cursa gravura no Masp, com Poty

VIAGENS
1960 - Roma (Itália) - Segue para Roma, com o prêmio viagem obtido no Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro

ATIVIDADES EM ARTES VISUAIS
Gravador, desenhista, ilustrador

1942 - Fortaleza CE - Funda o Grupo Artys, com Mário Barata, Barbosa Leite, Antônio Bandeira e João Maria Siqueira

1943/1944 - Faz ilustrações nos jornais O Unitário, Correio do Ceará e O Estado

1946 - São Paulo SP - Faz ilustrações nos jornais Correio Paulistano e A Noite

1947 - São Paulo SP - Integra o Grupo dos 19

1954 - São Paulo SP - Cria a primeira cenografia para a peça Lampião, de Rachel de Queiroz

1955 - São Paulo SP - Faz painéis para residências e locais públicos

1956 - São Paulo SP - Ilustra Sonetos, de Bocage

1960 - São Paulo SP - Faz 90 ilustrações para a edição completa, em 9 volumes, de As Mil e Uma Noites

1981 - Rio de Janeiro RJ - Faz a abertura da novela Terras do Sem Fim, de Jorge Amado. Acontece première com distribuição de álbum com reprodução de desenhos da novela

1985 - Brasil - Lança o livro Linha, Cor e Forma, que reflete seu trabalho; ilustra várias obras literárias


HOMENAGENS/TÍTULOS/PRÊMIOS
1955 - Salvador BA - Medalha de ouro no 5º Salão Baiano de Belas Artes

1961 - São Paulo SP - Sala especial na 6ª Bienal Internacional de São Paulo


ESCOLAS/MOVIMENTOS
Figurativo: Figuração Lírica, Figuração Sintética

GÊNEROS/TENDÊNCIAS
Natureza-Morta, Flores, Paisagem, Marinha, Pintura de Gênero, Composição Figurativa, Figura

MARCOS
1944 - Sociedade Cearense de Artes Plásticas - Scap
1947 - 19 Pintores
1951 - Salão Paulista de Arte Moderna
1954 - Salão Preto e Branco


TEXTOS CRÍTICOS

"É um dos poucos artistas no Brasil que atingiram seu nível técnico, a perfeição e a espontaneidade com que lança a linha no papel, a graça com que levanta a estilização de um pássaro ou de uma flor. Sua imagética veio ao encontro da compreensão do público, suas figuras invadiram a área do desenho industrial. Como desenhista, inventou bestiários e floras as mais exóticas e genesíacas, recriando o mundo à sua maneira, comunicando a alegria e a naturalidade de um profissional equilibrado e em sintonia com o mundo. "

Walmir Ayala

in 100 obras Itaú. Pietro Maria Bardi. São Paulo, Banco Itaú, MASP, 1985. Livro-catálogo que apresenta os quadros expostos na mostra "Cem obras Itaú" realizada no Masp em novembro de 1985. Contém biografias e fotos de todos os artistas.



"Acho que por nascer de gente de Ogum, gente de ferro e forja, Aldemir é o que é, tal e qual sem tirar nem pôr. (...) Aldemir irrompe, transborda, transforma tudo. Galo suro da infância no Cariri vira jóia, desenho, óleo, porcelana, escultura, gravura, lito, e o mesmo acontece com os cangaceiros, os aratus, os louva-a-deus ou as Maria Farinha, que se eternizam em escultura, telas, no que for. Há desenhos de Aldemir como chuva. Mansos. Há outros em que as linhas se unem, se desdobram, transam, se entrecruzam, formam massas, convergem, se contradizem, terminam todas no ponto exato que a mão mandou. Às vezes se abrem em leques, outras, uma multidão de retas formam um volume côncavo ou convexo, ou curvas e retas se tranpassam, namoram, brigam. É isso aí. Como é que pode? O homem é um furacão. Às vezes não, é a viração engravidando jangadas outras, pelas artes do Cão, me faz um cachorro de costas, uma maravilha. Tesconjuro Satanás! E as cores? Para quem pensar que são puras demais, violentas, elas estão aí nos mamões, nos peixes, nos cajus, no couro dos gibões, no mar, na luz daqui, não é mesmo? É só olhar! E as formas? Também estão aí. Ele as manipula, as transforma e as reconstrói de mil maneiras, mas, por mais desvairadas que sejam, continuam a ser pássaros, flores, tatus, mangas de Itamaracá, melancias, saíras, gente. Aldemir continua, como no tempo da escola, orientador artístico de muitos kilares destas artes dos Brasis. "

Carybé

in ALDEMIR Martins. Apresentação de Carybé. São Paulo: Galeria de Arte André, 1987.



"Não há limites claros para o exercício da criação de Aldemir Martins. Ele trabalhou em praticamente todos os segmentos existentes na sociedade brasileira. Aldemir, com maestria, exercitou nas técnicas tradicionais da pintura, desenho, gravura, cerâmica e escultura. E avançou, de acordo com o avanço dos meios de comunicação do país, nas áreas do desenho industrial, da ilustração e do trabalho eletrônico de séries televisivas. A sua abertura para uma das telenovelas de maior audiência do país, Gabriela, Cravo e Canela, realizada a partir de romance homônimo de Jorge Amado, é uma das experiências mais emocionantes da televisão brasileira, é uma das obras em que o artista junta, numa argamassa única, a sua qualidade expressiva de desenhista e pintor, o seu conhecimento das entranhas emocionais do país, a sua percepção da comunicação em massa e a utilização dos meios tecnológicos modernos. Nessa abertura, suíte preparatória, apresentação do tema, caracterização emocional da realidade e da motivação do telespectador, Aldemir Martins interfere diretamente no saber anônimo da população, oferece novos padrões de entendimento e produz uma abertura pioneira das possibilidades inerentes aos processos tecnológicos de comunicação. Talvez, dada a integridade da motivação e da iconografia pessoal, não haja realmente limites para o artista moderno. Outra afirmação de nossa época. É por isso que o artista pode fazer padronagem de tecidos, ilustração de objetos cotidianos, decoração de formas industriais, murais e, ao mesmo tempo, conservar íntegro e em expansão o seu universo particular, a sua iconografia pessoal e a empatia entre o seu saber e o saber de seu povo. "

Jacob Klintowitz

KLINTOWITZ, Jacob. Aldemir Martins: natureza a traços e cores. The lines and colors of nature. trad. Sol Biderman. São Paulo, Valoart, 1989, p. 12.

OUTROS TEXTOS

"(...)

L

Lobato lembra petróleo.
Acabo tomando um óleo
para poder definir:
Aldermir é o maior!
Eu grito, pois sei de cor:
um viva pro Aldermir!

M

Mas que pintor qu'ele é!
Pinta a paz e pinta a fé.
esperança e bem-querê!
Pelo que tem aprontado
fica também doutorado
na carreira do ABC!

N

Nessa Carreira rimada
sua arte é retratada
no jeito do meu sertão,
para poder dirigir
ao meu irmão Aldermir
esta simples louvação!

(...)"

Manézinho Araújo

ALDEMIR Martins: linha, cor e forma. Edição Emanoel Araújo; comentário Edwaldo Pacote. São Paulo: MWM-IFK, 1985. 245p. il. p. b. color. (Coleção MWM-IFK).

Exposições realizadas
  • EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 1946 - São Paulo SP - Primeira individual, na sede do IAB

  • 1954 - Nova York (Estados Unidos) - Individual, na Galeria Catherine Viviano

  • 1959 - Salvador BA - Individual, no MAM/BA

  • 1960 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino

  • 1961 - Roma (Itália) - Individual, na Galeria Pogliani

  • 1962 - Madri (Espanha) - Individual, na Sala Nébili

  • 1962 - São Paulo SP - Individual, na Galeria de Arte São Luiz

  • 1962 - Düsseldorf (Alemanha) - Individual, na Düsseldorf Kunsthalle Grabbeplatz

  • 1962 - São Paulo SP - Individual, no Clube Atlético Paulistano

  • 1962 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino

  • 1963 - Salvador BA - Individual, na Galeria Querino

  • 1963 - Roma (Itália) - Individual, na Litografia Editrice Romeiro

  • 1964 - Lima (Peru) - Individual, no Instituto de Arte Contemporânea

  • 1966 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino

  • 1966 - Londres (Inglaterra) - Série Futebol, na Casa do Brasil

  • 1967 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Astréia

  • 1969 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Portinari

  • 1970 - Blumenau SC - Individual, na Galeria Açu-Açu

  • 1970 - Fortaleza CE - Individual, no Recanto de Ouro Preto

  • 1970 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Bonino

  • 1972 - São Paulo SP - Paisagens de Aldemir, na A Galeria

  • 1973 - Brasília DF - Aldemir Martins: pinturas, desenhos e gravuras, no Hotel Nacional

  • 1974 - São Paulo SP - Músicos de Aldemir, na A Galeria

  • 1977 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Casa Blanca - Shopping Center da Gávea

  • 1978 - São Paulo SP - Um Novo Aldemir, na Galeria de Arte Shopping News

  • 1979 - Recife PE - Individual, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1979 - Fortaleza CE - Individual de inauguração da Sala Aldemir Martins, no Mauc

  • 1979 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte

  • 1980 - São Paulo SP - Homenagem a Primavera, na Galeria Augusto, Augusta

  • 1981 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte

  • 1981 - São Paulo SP - Individual, no Centro de Arte da Ordem/Sindicato dos Economistas de São Paulo

  • 1981 - Estocolmo (Suécia) - Litografias, na Galeria Latina

  • 1982 - São Paulo SP - Aldemir Martins: rascunhos e anotações, na Galeria Augusto, Augusta

  • 1982 - Fortaleza CE - Individual, na Galeria Ignez Fiuza

  • 1982 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Alberto Bonfiglioli

  • 1983 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Realidade Galeria de Arte

  • 1984 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Alberto Bonfiglioli

  • 1984 - Porto Alegre RS - Individual, na Galeria Masson

  • 1984 - Nova York (Estados Unidos) - Individual, na Amazon Art

  • 1985 - Recife PE - Individual, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1985 - Paris (França) - Individual, no Grand Palais de Paris

  • 1985 - Salvador BA - Individual, no Escritório de Arte da Bahia

  • 1985 - São Paulo SP - Espaço Ativo, na Galeria Augusto, Augusta

  • 1987 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Galeria de Arte André

  • 1987 - São Paulo SP - Individual, na Galeria Intersul

  • 1988 - São Paulo SP - Aldemir Martins, 40 Anos de Gravura, na Galeria Intersul

  • 1988 - São Paulo SP - Individual, na Renot Art Dealer

  • 1989 - Ribeirão Preto SP - Aldemir Martins. Gravuras, no Ribeirão Shopping

  • 1989 - São Bernardo do Campo SP - Pinturas e Desenhos de Aldemir Martins, na Marusan Galeria de Arte

  • 1989 - Paris (França) - O Nordeste de Aldemir Martins, no Espace Latino Americain

  • 1990 - Salvador BA - Individual, na Época Galeria de Arte

  • 1991 - Paris (França) - Primavera no Rio, na Galérie Debret

  • 1991 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Galeria de Arte André

  • 1992 - São Paulo SP - Individual, na Casa das Rosas

  • 1992 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na A Galeria

  • 1993 - São Paulo SP - Aldemir Martins em Pedra Cerâmica, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1993 - São Paulo SP - Individual, no Masp

  • 1994 - São Paulo SP - Pinturas Desenhos e Gravuras, na Casa das Artes Galeria

  • 1995 - São Paulo SP - Aldemir Martins, na Galeria de Arte André

  • 1995 - São Paulo SP, Rio de Janeiro RJ, Curitiba PR, Florianópolis SC, Foz do Iguaçu PR, Recife PE, Porto Alegre RS, Campinas SP, Goiânia GO e Salvador BA - Aldemir Martins: um gravador brasileiro, na Galeria de Arte André e na Casa das Artes Galeria, na Realidade Galeria de Arte, na Fratelli Rubbo Galeria de Arte, na Studio de Arte, na Ita Galeria de Arte, na Ranulpho Galeria de Arte, na Bublitz Decaedro Galeria de Arte, na Croqui Galeria de Arte, na Época Galeria de Arte, e na Prova do Artista

  • 1999 - Mauá SP - Aldemir Martins, um gravador brasileiro, na Casa de Cultura e Museu Barão de Mauá

  • 2000 - Fortaleza CE - Aldemir Martins: um olhar sobre o Brasil, na Casa D'Arte

  • EXPOSIÇÕES COLETIVAS

  • 1942 - Ceará - 2º Salão Cearense

  • 1943 - Ceará - 3º Salão Cearense

  • 1944 - Ceará - Pintura de Guerra, organizada pela Scap

  • 1945 - Rio de Janeiro RJ - 51º Salão Nacional de Belas Artes

  • 1945 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, na Galeria Askanasy

  • 1947 - Checoslováquia - Coletiva de Desenhistas Brasileiros

  • 1947 - São Paulo SP - 11º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo

  • 1947 - São Paulo SP - 19 Pintores, na União Cultural Brasil-Estados Unidos

  • 1947 - São Paulo SP - Exposição dos 19 Pintores - terceiro prêmio

  • 1948 - São Paulo SP - Exposição com Mário Gruber e Enrico Camerini, na Galeria Domus

  • 1950 - Salvador BA - 2º Salão Baiano de Artes Plásticas - medalha de bronze

  • 1951 - São Paulo SP - 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP - Prêmio Olívia Guedes Penteado

  • 1952 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão de Nacional de Arte Moderna

  • 1952 - Santiago (Chile) - Exposición de Pinturas, Dibujos y Grabados Contemporáneos del Brasil

  • 1953 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Arte Moderna - isenção de júri

  • 1953 - São Paulo SP - 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP - Prêmio Nadir Figueiredo

  • 1953 - Tóquio (Japão) - Brazilian Painters

  • 1954 - São Paulo SP - 3º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - prêmio aquisição

  • 1954 - Genebra (Suíça) - Graveurs Brésiliens

  • 1954 - Fortaleza CE - 3º Salão dos Independentes

  • 1954 - Dallas (Estados Unidos) - South American Art Today, no Museum of Fine Arts

  • 1954 - São Paulo SP - 40 Artistas do Brasil, na Galeria de Arte São Luiz

  • 1954 - São Luís MA - 5º Salão de Artes Plásticas do Maranhão

  • 1955 - Atibaia SP - 1ª Exposição Oficial de Pintura de Atibaia

  • 1955 - Suíça - Bienal Internacional de Desenho e Gravura de Lugano

  • 1955 - São Paulo SP - 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP - prêmio melhor desenhista

  • 1955 - São Paulo SP - 4º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - pequena medalha de ouro

  • 1955 - Salvador BA - 5º Salão Baiano de Artes Plásticas

  • 1956 - Veneza (Itália) - 27ª Bienal de Veneza - prêmio de desenho

  • 1956 - Roma (Itália) - Exposição de gravuras com Lívio Abramo, no Circolo dei Principi

  • 1956 - Messina (Itália) - Mostra dos Premiados na 27ª Bienal de Veneza, na Galeria Internationale D'Art Moderne

  • 1957 - Montevidéu (Uruguai) - Arte Moderna no Brasil

  • 1957 - Rio de Janeiro RJ e Buenos Aires (Argentina) - Exposição de Artistas Brasileiros

  • 1957 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Arte Moderna - prêmio viagem ao país

  • 1957 - São Paulo SP - 4ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP

  • 1957 - Berna (Suíça) - Exposição de Gravuras com Lívio Abramo, na Embaixada do Brasil em Berna

  • 1958 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia - prêmio viagem ao país

  • 1958 - Nova York (Estados Unidos) - Festival Internacional de Arte, Festival Galleries

  • 1959 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Arte Moderna - prêmio viagem ao estrangeiro

  • 1959 - São Paulo SP - 5ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP

  • 1960 - Jerusalém (Israel) - 12 Artistas Brasileiros, no Bezalel Museum Jerusalen

  • 1960 - São Paulo SP - Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas

  • 1960 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva de inauguração, na Galeria Bonino

  • 1960 - São Paulo SP - 1ª Exposição do Cartaz de Arte, no Masp

  • 1960 - São Paulo SP - Coletiva de Artistas Brasileiros e Americanos, no MAM/SP

  • 1961 - São Paulo SP - 6ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP

  • 1962 - Curitiba PR - Salão do Paraná, na Biblioteca Pública do Paraná

  • 1962 - Kassel (Alemanha) - Brasilianische Kunstler der Gegenwart

  • 1962 - Rabat (Marrocos) - Aldemir Martins et Autres Brésiliens

  • 1962 - Washington (Estados Unidos) - Arte Brasileira em Washington

  • 1962 - Santos SP - 9º Salão Oficial de Santos - grande medalha de prata

  • 1963 - São Paulo SP - Coletiva, no IAB

  • 1963 - Rio de Janeiro RJ - O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana

  • 1964 - Londres (Inglaterra), Berlim (Alemanha) e Viena (Áustria) - Brazilian Art Today

  • 1965 - Nova York (Estados Unidos) - Brazilian Art Today. Coleção David Rockfeller, no The Chase Manhattan Bank

  • 1965 - Bonn (Alemanha) - Brasilianischi Kunst Heute

  • 1966 - Lausanne (Suíça) - 2º Salão Internacional da Galerie Pilotes de Lausanne

  • 1967 - Rio de Janeiro RJ e Florianópolis SC - 5º Resumo de Arte do Jornal do Brasil, no MAM/RJ e no Masc

  • 1967 - Belo Horizonte MG - 21º Salão Municipal de Belas Artes

  • 1967 - Ouro Preto MG - 1º Salão de Ouro Preto - sala especial

  • 1967 - Vitória ES - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas

  • 1967 - Amsterdã (Holanda) - Kunstenaars van nu uit Brazile, no Bols Taverne

  • 1968 - São Paulo SP - Retrospectiva Didática dos 19 Pintores, na Tema Galeria de Arte

  • 1968 - São Paulo SP - Exposição Internacional de Gravura, na Faap

  • 1968 - Paris (França) e Roma (Itália) - Primi Premi per la Grafia alla Biennale Internazionale di Venezia de 1946 a 1966 Galena Rive Gauche

  • 1969 - São Paulo SP - Coletiva, no Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro

  • 1969 - Fortaleza CE - Coletiva, no Mini Museu Firmesa

  • 1969 - São Paulo SP - 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP

  • 1970 - Fortaleza CE - 20º Salão Municipal de Abril

  • 1970 - São Paulo SP - Futebol Arte, no Paço das Artes

  • 1970 - São Paulo SP - Coletiva, na A Hebraica

  • 1970 - São Paulo SP - 2º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP

  • 1970 - São Paulo SP - Pinacoteca do Estado de São Paulo 1970, na Pesp

  • 1971 - São Paulo SP - 11ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

  • 1971 - Barcelona (Espanha) - 3ª Bienal Internacional del Deporte en las Bellas Artes

  • 1972 - São Paulo SP - Arte/Brasil/Hoje: 50 anos depois, na Galeria da Collectio

  • 1973 - São Paulo SP, Tóquio, Atami e Osaka (Japão) - 1ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão

  • 1973 - Recife PE - Franciscana, a Figura de São Francisco Interpretada por 13 Artistas Nordestinos, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1975 - São Paulo SP - 13ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

  • 1975 - São Paulo SP e Rio de Janeiro RJ - Arte e Pensamento Ecológico, na Câmara Municipal de São Paulo/Palácio Anchieta e na Cetesb (SP) e no Palácio da Cultura (RJ)

  • 1975 - Penápolis SP - 1º Salão de Artes Noroeste

  • 1976 - São Paulo SP - O Desenho Jovem dos Anos 40, na Pesp

  • 1976 - São Paulo SP - Coletiva, na Fundação Educacional de Penápolis

  • 1976 - São Paulo SP - 2º Mestres da Pintura Brasileira, na A Galeria

  • 1978 - São Paulo SP - 19 Pintores, no MAM/SP

  • 1978 - São Paulo SP e Rio de Janeiro RJ - Arte e Pensamento Ecológico, na Câmara Municipal de São Paulo/Palácio Anchieta e na Cetesb (SP) e no Palácio da Cultura (RJ)

  • 1979 - São Paulo SP - 15ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

  • 1979 - São Paulo SP - 4ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão

  • 1980 - Alemanha, Portugal e Áustria - Quatro Artistas Brasileiros - Douchez, Ianelli, Martins e Nicola - Itinerante

  • 1980 - São Paulo SP - 5ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão

  • 1980 - São Paulo SP - Coletiva, no MAM/SP

  • 1980 - Santiago (Chile) - Coletiva, no Museu de Bellas Artes de Santiago

  • 1980 - São Paulo SP - 48 Artistas, na Pesp

  • 1982 - Estocolmo (Suécia) - Feira de Arte de Estocolmo - sala especial

  • 1982 - Rio de Janeiro RJ - Universo do Futebol, no MAM/RJ

  • 1982 - Salvador BA - A Arte Brasileira da Coleção Odorico Tavares, no Museu Carlos Costa Pinto

  • 1982 - São Paulo SP - Do Modernismo à Bienal, no MAM/SP

  • 1983 - Olinda PE - Exposição da Coleção Abelardo Rodrigues de Artes Plásticas, no MAC/PE

  • 1983 - Rio de Janeiro RJ - 6ª Exposição de Belas Artes Brasil-Japão

  • 1983 - Rio de Janeiro RJ - Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ

  • 1983 - São Paulo SP - Arte na Rua

  • 1984 - São Paulo SP - A Cor e o Desenho do Brasil, no MAM/SP

  • 1984 - Ribeirão Preto SP - Gravadores Brasileiros Anos 50/60, na Galeria Campus USP - Banespa

  • 1984 - Rio Claro SP - 2º Salão de Artes Plásticas de Rio Claro

  • 1984 - Itu SP - 3ª Exposição de Arte. Várias Tendências, na Casa da Cultura

  • 1984 - Rio de Janeiro RJ - Pintura Brasileira Atuante, no Espaço Petrobrás

  • 1984 - São Paulo SP - Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal

  • 1984 - Teresina PI - 7º Salão Nacional de Artes Plásticas

  • 1985 - Rio de Janeiro RJ - 8º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/RJ

  • 1985 - São Paulo SP - 100 Obras Itaú, no Masp

  • 1985 - São Paulo SP - Aldemir Martins, Rapoport, Satyro, Scliar, Virgolino, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1985 - Ottawa (Canadá) - Trois Peintres Brésiliens

  • 1986 - São Paulo SP - 17º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP

  • 1986 - Madri (Espanha) - Arco

  • 1986 - Londres (Inglaterra) - The 3th Internacional Art Contemporary Fair

  • 1986 - Belgrado (Iugoslávia) - Coletiva de Desenhos e Gravuras, no Diplomatic Club Belgrade

  • 1987 - Salvador BA - Doze Artistas Brasileiros, na Anarte Galeria

  • 1987 - São Paulo SP - As Bienais no Acervo do MAC: 1951 a 1985, no MAC/USP

  • 1987 - São Paulo SP - O Ofício da Arte: pintura, no Sesc

  • 1987 - Salvador BA - Inauguração da Fundação Casa de Jorge Amado

  • 1988 - Rio de Janeiro RJ - Hedonismo: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria Edifício Gilberto Chateaubriand

  • 1988 - Salvador BA - Os Ilustradores de Jorge Amado, na Fundação Casa de Jorge Amado

  • 1988 - São Paulo SP - Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Sesc

  • 1988 - Fortaleza CE - Comemoração de 30 Anos da Fundação da Scae, Sociedade de Artistas Plásticos de Fortaleza

  • 1988 - São Paulo SP - Juréia, na Galeria Sadala

  • 1988 - Paris (França) - Exposição de Pinturas Ecológicas Fiac, no Grand Palais de Paris

  • 1988 - São Paulo SP - Os Muros de Maison Vogue, no Masp

  • 1989 - Copenhague (Dinamarca) - Os Ritmos e as Formas: arte brasileira contemporânea, no Museu Charlottenborg

  • 1989 - São Paulo SP - As Mesas, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1990 - São Paulo SP - Frutas, Flores e Cores, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1990 - São Paulo SP - Gatos Pintados, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1991 - São Paulo SP - A Música na Pintura, na Ranulpho Galeria de Arte

  • 1991 - Paris (França) - Coletiva, no Grand Palais de Paris

  • 1992 - São Paulo SP - O Olhar de Sérgio sobre a Arte Brasileira: desenhos e pinturas, na Biblioteca Municipal Mário de Andrade

  • 1993 - João Pessoa PB - Xilogravura: do cordel à galeria, na Funesc

  • 1993 - Rio de Janeiro RJ - Arte Erótica, no MAM/RJ

  • 1993 - São Paulo SP - 100 Obras-Primas da Coleção Mário de Andrade: pintura e escultura, no IEB/USP

  • 1993 - São Paulo SP - Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956 - 1967, no MAM/SP

  • 1994 - São Paulo SP - Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal

  • 1994 - São Paulo SP - Poética da Resistência: aspectos da gravura brasileira, na Galeria de Arte do Sesi

  • 1994 - São Paulo SP - Xilogravura: do cordel à galeria, na Companhia do Metropolitano de São Paulo

  • 1995 - São Paulo SP - Brasil-Japão Arte, na Fundação Mokiti Okada

  • 1995 - São Paulo SP - Projeto Arte Atual Brasil, no Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte

  • 1995 - São Paulo SP - Projeto Contato, na Galeria Sesc Paulista

  • 1996 - Belo Horizonte MG - Impressões Itinerantes, no Palácio das Artes

  • 1996 - Osasco SP - Expo FIEO, na Fieo

  • 1996 - São Paulo SP - Norfest 96, no D&D Shopping

  • 1996 - São Paulo SP - Off Bienal, no MuBE

  • 1997 - São Paulo SP - Exposição Coletiva de Natal, na Galeria de Arte André

  • 1998 - São Paulo SP - Coletiva de Primavera, na Galeria de Arte André

  • 1998 - São Paulo SP - Impressões: a arte da gravura brasileira, no Espaço Cultural Banespa Paulista

  • 1998 - São Paulo SP - O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand - MAM/RJ, no Masp

  • 1998 - São Paulo SP - Os Colecionadores - Guita e José Mindlin: matrizes e gravuras, na Galeria de Arte do Sesi

  • 1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. Gravura Moderna Brasileira. Acervo Museu Nacional de Belas Artes, MNBA

  • 1999 - Rio de Janeiro RJ - Mostra Rio Gravura. São Paulo: gravura hoje, no Palácio Gustavo Capanema

  • 2001 - Uberlândia MG - Gravuras Brasileiras do Acervo do MUnA: anos 60, 70 e 80, no MUnA

  • 2001 - São Paulo SP - Arte Hoje, na Arvani Arte
  •   
      :: Conheça as obras do artista