Fonte: www.itaucultural.org.br

Gravadora e desenhista. Naura Timm de Lima (São Pedro do Sul RS 1941) estuda no Centro de Artes da UFSM de 1967 a 1969. Em 1973 estuda na Escola de Belas Artes do Rio de Janeiro. Durante a década de 70 expõe diversas vezes em São Paulo e Rio de Janeiro. Em 1977 participa da exposição Seis Artistas Goianos em Roma, Milão e Gênova (Itália) em Paris (França). Durante a década de 80 participa de várias exposições no México, como mostra coletiva no Museu de Arte Moderna de Guadalajara, além de uma individual no Museu de la Ciudad de México. Durante o mesmo período participa do 3º Salão Nacional de Artes Plásticas no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro e da exposição Itinerário 1, uma mostra Itinerante de artistas plásticos de Brasília em São Paulo, Belo Horizonte, Florianópolis, Joinville SC, Brasília e Rio de Janeiro.



NASCIMENTO
1941 - São Pedro do Sul RS

LOCAIS DE VIDA
s.d. - São Pedro do Sul RS
s.d. - Goiânia GO
1967/1969 - Santa Maria RS
1973/ 1975 - Rio de Janeiro RJ
1977 - Brasília DF

FORMAÇÃO
1967/1969 - Santa Maria RS - Estuda no Centro de Artes da UFSM
1973 - Rio de Janeiro RJ - Estuda na Escola de Belas Artes
1974/1975 - Rio de Janeiro RJ - Estuda litografia no Instituto de Belas Artes

ATIVIDADES EM ARTES VISUAIS
Pintora, Gravadora e Desenhista

ATIVIDADES OUTRAS
s.d. - Publica os livros Ecos da América, Brasil do Nordeste e O tarô de Shirinsk


HOMENAGENS/TÍTULOS/PRÊMIOS
s.d.- Prêmio Tiocô de artes plásticas


ESCOLAS/MOVIMENTOS
Figurativo: Realismo Mágico

GÊNEROS/TENDÊNCIAS
Composição com figuras, homens e animais



TEXTOS CRÍTICOS

"Naura pinta com sangue e dor! Na sua alucinação telúrica, rasga terra e carne, fere com cortes profundos a matéria e ao mesmo tempo recompõe através do grafismo e da cor a cicatriz exposta. "

Lourdes Cedran

in NOVOS caminhos da arte fantástica. Texto de Lourdes Cedran. São Paulo: Paço das Artes, 1979.



"(...)Ao iniciar sua trajetória, há mais de uma década, a artista começou por desenvolver um trabalho infatigável de valor singular, cuja execução superava desde logo qualquer estética presa de fórmulas ou das formas. (...) A exposição levada para o México mostrou uma Naura diversa, mas consequente com aquela áspera fidelidade anterior(...) Despertava então a nossa herança arcaica, atualizada na compreensão primitiva ou no protesto solidário, ao mesmo tempo desbordante de vitalidade e contida em limites formais, que viriam a abrir-se definitivos. Seguem-se as fases nas quais o mito precipita-se, ocidental ou africano(...) Enfim chegamos à fase atual, aqui representada. Considero esta última prova artística de Naura Timm uma síntese das sínteses que até o momento experimentou. Estamos frente a um ensaio de multiplicidades invulgar; todas essas imagens estão servidas por uma técnica magistralmente segura, entre linhas, cores e volumes equilibrados no vazio, que a beleza vai preenchendo com ingenuidade e surpresa. Centrando a figura humana no limite extremo dos sonhos, criança e adulto circulam reunindo também os espaços e o tempo, em duração de dimensões mágicas(...)"

José Santiago Naud

in MOSTRA ITINERANTE DE ARTISTAS PLÁSTICOS DE BRASÍLIA, 1. , 1984. Itinerário 1. Apresentação de Carlos Fernando Mathias de Souza. Texto de João Evangelista de Andrade Filho. São Paulo: Museu da Casa Brasileira, 1984.





“ Naura Timm nasceu no Rio Grande do Sul e, na maturidade, enraizou-se no Centro Oeste brasileiro. Dessa dualidade nasceu sua pintura luxuosa e signográfica, repleta de intenções mágicas, que vão da interpretação de leitura do tarô à absorção das formas ameríndias, tangenciando a liturgia mística das vivências primitivas, nas quais as franjas da vida e da morte se confundem”

Walmir Ayala




TIMM, Naura. Naura Timm. Brasília : Parnaso Galeria de Art,1981.

DEPOIMENTOS

"... A glória, a plenitude, as bonanças - o mundo - para isto fui criado, para ser e parecer o paraíso, aves seres, árvores, danças, cantos. A criação, a festa natural e universal da união, da harmonia, ação e movimento. Eu sou o tudo, o absoluto, o criador e a criação observando... Mas me enluto na mentira e na ilusão na qual todos se cegam e se cobrem de véus, poeiras e morte. ... O mundo acorda - o mundo é um bebê que deve levantar de um sono – o mundo aí: águas, rios, estrelas, oceanos, tudo emerge profundo em natureza - o corpo celeste, o corpo do planeta, o corpo da mulher. Tudo é luz, acordar e refulgência. Tudo levanta e segue o seu destino – o destino de sua própria e verdadeira escolha..."


Naura Timm


TIMM, Naura. Pura Natureza. In: NAURA TIMM. Disponível em: [http://pagina.de/nauratimm]. Acesso em: 10 out 2001


Exposições realizadas
  • EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 1976 - Goiânia GO - Individual, na Galeria Casa Grande

  • 1979 - Brasília DF - Individual, na Galeria Vasp

  • 1980 - Brasília DF - Individual, na Galeria Parnaso

  • 1980 - Cidade do México (México) - Individual, no Instituto Politécnico Nacional

  • 1980 - Cidade do México (México) - Individual, no Museo de la Ciudad de México

  • 1980 - Brasília DF - Individual, na Galeria Parnaso

  • 1981 - Brasília DF - Individual, na Galeria Parnaso

  • 1981 - Guadalajara (México) - Individual, no Museo de Arte Moderno

  • 1981 - Porto Alegre RS - Individual, no Margs

  • 1982 - Brasília DF - Individual, na Galeria B da Fundação Cultural do Distrito Federal

  • 1982 - Brasília DF - Individual, no Instituto de Cultura Hispânica

  • 1983 - Brasília DF - Individual, no Teatro Nacional

  • 1983 - Goiânia GO - Individual, no Palácio Municipal da Cultura

  • 1983 - Santa Maria RS - Individual, na Galeria Centro de Artes e Letras da UFSM

  • 1984 - Brasília DF - Individual, na Galeria Contemporânea de Arte

  • 1985 - Brasília DF - Individual, na Galeria Térrea do Hotel Nacional

  • 1985 - México - Individual no Instituto Francês de América Latina

  • 1985 - Brasília DF - Individual, na Performance Galeria de Arte

  • 1985 - Cuanhtêmoc (México) - Individual no Teatro Cuanhtêmoc

  • 1985 - Goiânia GO - Individual, na Galeria Multi Arte

  • 1985 - Rio de Janeiro RJ - Individual, na Galeria Ibeu Copacabana

  • 1986 - México - Individual na Galeria Casa de La Paz

  • 1986 - Brasília DF - Individual, na Galeria de Arte Sandiz

  • 1986 - Florianópolis SC - Individual, no Museu de Arte de Santa Catarina

  • 1986 - Oaxaca (México) - Individual, no Atelier Rufino Tamayo

  • 1987 - México - Individual no Centro de Estudos Brasileños

  • 1987 - Cidade do México (México) - Individual, no Instituto Francês da América Latina

  • 1988 - Brasília DF - Individual, na Galeria de Arte Sandiz

  • 1989 - Brasília DF - Individual, na Galeria Contemporânea de Arte Brasília

  • 1990 - Brasília DF - Individual, no Teatro Nacional de Brasília

  • 1991 - Brasília DF - Individual, no Teatro Nacional de Brasília

  • 1992 - Goiânia GO - Individual, no Museu de Arte

  • 1993 - Brasília DF - Individual, no Instituto de Cultura Hispânica

  • 1994 - Brasília DF - Individual, no Embaixada do México

  • 1994 - Brasília DF - Individual, no Instituto de Cultura Hispânica

  • 1995 - Brasília DF - Individual, no Museu de Arte de Brasília

  • 1995 - Brasília DF - Individual, na Fundação Cultural do Distrito Federal

  • 1995 - Brasília DF - Individual, no Teatro Nacional de Brasília

  • 1995 - Goiânia GO - Individual, no Museu de Arte

  • 1998 - Brasília DF - A Ceia dos Sem Terra, no atelier da artista

  • 1999 - Brasília DF - Amor e Êxtase, no atelier da artista

  • 1999 - Brasília DF - Adão e Eva no Planalto Central, no atelier da artista

  • 1999 - Brasília DF - Homenagem as mãos ou Bolas de Cristal, no atelier da artista

  • 1999 - Brasília DF - Paixão versus Compaixão, no atelier da artista

  • 2000 - Brasília DF - A pintura do Coração, na galeria Rubem Valentim

  • 2001 São Paulo SP - Individual, na Funarte

  • EXPOSIÇÕES COLETIVAS

  • 1970 - Santa Maria RS - Coletiva, na UFSM - Prêmio

  • 1973 - Belo Horizonte MG - 6º Salão Nacional de Arte Contemporânea

  • 1973 - Rio de Janeiro RJ - 22º Salão Nacional de Arte Moderna, no Centro de Artes Contemporâneas

  • 1974 - Curitiba PR - 30º Salão Paranaense, no Teatro Guaíra

  • 1975 - Rio de Janeiro RJ - 24º Salão Nacional de Arte Moderna

  • 1975 - Rio de Janeiro RJ - Coletiva, no Centro de Artes Contemporâneas

  • 1975 - Rio de Janeiro RJ - Exposição Comemorativa do Aniversário do IBA

  • 1975 - Rio de Janeiro RJ - Valores Novos, no Instituto Brasil - Estados Unidos

  • 1976 - Goiânia GO - 1º Salão Empresarial de Artes Plásticas de Goiás

  • 1976 - Goiânia GO - 3º Salão da Caixa Econômica do Estado de Goiás - premiada

  • 1976 - São Paulo SP - Bienal Nacional 76, na Fundação Bienal

  • 1976 - São Paulo SP - 7º Salão Paulista de Arte Contemporânea, no Paço das Artes

  • 1977 - Gênova (Itália) - Seis Artistas Goianos, na galeria Contemporânea

  • 1977 - Goiânia GO - 2ª Feira de Arte

  • 1977 - Milão (Itália) - Seis Artistas Goianos, no Consulado do Brasil

  • 1977 - Paris (França) - Seis Artistas Goianos, na Galeria Debret

  • 1977 - Roma (Itália) - Seis Artistas Goianos, na Casa do Brasil

  • 1978 - Rio de Janeiro RJ - 1º Salão nacional de Artes Plásticas , no Palácio da Cultura

  • 1978 - São Paulo - Salão de Arte fantástica, no Museu da Imagem e do Som

  • 1979 - Belém PA - Projeto Arco-Íris

  • 1979 - Brasília DF - 2º Documento de Arte do Centro- Oeste - premiada

  • 1979 - Brasília DF - Salão de Desenho e Gravura do Centro- Oeste - prêmio Aquisição e prêmio Honorífico

  • 1979 - Rio de Janeiro RJ - 2º Salão Nacional de Artes Plásticas, no MAM/ RJ

  • 1979 - Rio de Janeiro RJ - Projeto Arco-Íris

  • 1979 - São Paulo SP - Novos Caminhos da Arte Fantástica, no Paço das Artes

  • 1979 - Vitória ES - Projeto Arco-Íris

  • 1980 - Fortaleza CE - Salão de Ceará - premiada

  • 1980 - Guadalajara (México) - Semana do Brasil

  • 1980 - Rio de Janeiro RJ - 3º Salão nacional de Artes Plásticas, no Museu Nacional de Belas Artes

  • 1980 - Sinaloa (México) - Coletiva, no Museu de Arte Moderna de Sinaloa

  • 1981 - Brasília DF - Coletiva de Abertura, na Galeria Oscar Seraphico

  • 1981 - Cidade do México (México) - Expõe com José Zuniga, no Centro de Arte Moderna

  • 1982 - Brasília DF - Coletiva de Outono, na Galeria Oscar Seraphico

  • 1982 - Brasília DF - Coletiva de Verão, na Galeria Oscar Seraphico

  • 1982 - Goiânia GO - Coletiva, no Palácio Cultural

  • 1983 - Cidade do México (México) - Expõe com F. O. Badillo, na Universidade Autônoma do México

  • 1984 - (México) - Artistas Contemporâneos, na La Galeria Metropolitana

  • 1984 - Belo Horizonte MG - Itinerário 1: Mostra Itinerante de Artistas Plásticos de Brasília, no Palácio das Artes

  • 1984 - Brasília DF - Armindo Leal, Gilberto Melo, Glênio Bianchetti, Ivanir Vianna, Lêda Watson, Marlene Godoy, Marquês de Sá, Minnie Sardinha, Naura Timm, Wilma Lacerda no Centro de Convenções - setor de difusão cultural.

  • 1984 - Brasília DF - Itinerário 1: Mostra Itinerante de Artistas Plásticos de Brasília, na Fundação Cultural do Distrito Federal

  • 1984 - Florianópolis SC - Itinerário 1: Mostra Itinerante de Artistas Plásticos de Brasília, no Museu de Arte de Santa Catarina

  • 1984 - Guernavaca (México) - Coletiva de Inauguração, na Galeria Yunuen

  • 1984 - Joinville SC - Itinerário 1: Mostra Itinerante de Artistas Plásticos de Brasília, no Museu de Arte de Joinville

  • 1984 - Rio de Janeiro RJ - Itinerário 1: Mostra Itinerante de Artistas Plásticos de Brasília, no MNBA

  • 1984 - São Paulo SP - Itinerário 1: Mostra Itinerante de Artistas Plásticos de Brasília, no Museu da Casa Brasileira

  • 1989 - México - Coletiva, na Casa del Lago

  • 1989 - México - Exposição em homenagem a Antoni Ribeiro, na Galeria Principal

  • 1993 - Brasília DF - Coletiva, na Embaixada da Colômbia

  • 1994 - Brasília DF - SUBASTA, na Embaixada da Espanha

  • 1994 - Versalhes (França) - Coletiva, no Palácio de Versailles

  • 1996 - Brasília DF - Coletiva das Águas, no Espaço Cultural da 508 sul

  • 1996 - Brasília DF - Retrato de Frida Khalo, no Espaço Cultural da 508 sul

  • 1996 - s.l. - Coletiva na Embaixada do Kwait

  • 1997 - Brasília DF - Coletiva na Embaixada de Trinidad Tobago

  • 1998 - Brasília DF - Recuerdos de Garcia Lorca, no Espaço Cultural da 508 sul

  • 1998 - s.l. - Coletiva, na Galeria Brasil Interior
  •   
      :: Conheça as obras do artista