Fonte: www.itaucultural.org.br

Pintor. Agostinho de Souza (Ipameri GO 1934) viaja ao Rio de Janeiro em 1965, onde freqüenta aulas e palestras sobre arte na Associação Nacional de Belas-Artes. Transfere-se para Goiânia, e passa a pintar paisagens, nas quais retrata figuras tradicionais do interior de Goiás. Na década de 70, recebe prêmios de aquisição em dois salões de arte de Goiás, um deles realizado em Goiânia e outro em Rio Quente.


NASCIMENTO
1934 - Ipameri GO - 30 de maio

LOCAIS DE VIDA
1945 - Goiânia GO
1965 - Rio de Janeiro RJ

FORMAÇÃO
1965 - Rio de Janeiro RJ - Freqüenta aulas e palestras de Arte na Associação Nacional de Belas Artes


ESCOLAS/MOVIMENTOS
Figurativo: Academismo

GÊNEROS/TENDÊNCIAS
Paisagem


TEXTOS CRÍTICOS

"Pintura voltada profundamente para a paisagem em repouso. Mimética, apesar das implicações impressionistas com cruzamento de soluções clássicas. Suas cores não deixam transparecer o tropicalismo exacerbado nem a leve preocupação de mostrar um mundo à beira da revolta ou da destruição. (...) Agostinho sabe, como ninguém entre nós, mostrar a paisagem rural ou o perfil de pequenas comunidades urbanas de nosso interior, ora de maneira saudosista, ora apenas sugestiva. Sua pintura lembra cromos retirados dos confins da memória à ´la recherche du temps perdu´ (...) Seus horizontes nem muito fotográficos nem ousados demais quanto à dosagem cromática, mas uma simples sugestão, geralmente neutra, a partir do primeiro plano e, de degrau em degrau, tudo se perde, se esfuma no jogo pictórico em que a natureza parece conviver com um homem atemporal ou, pelo menos, segundo utópicas leis de convivência pacífica e respeitosa, opinião de alguns observadores. (...) ele é um dos poucos pintores de Goiás que conseguiu aquilo que para muitas escolas pictóricas é fundamental no gênero da pintura paisagística, ou seja, a capacidade de captar a luz e a cor local. "

Ático Vilas Boas da Mota

in SILVEIRA, Px; MACHADO, Betúlia. Arte hoje - o processo em Goiás visto por dentro. Px Silveira e Betúlia Machado. Maria José Silveira; Filipe José Lindoso e Marcio Souza. Rio de Janeiro, Marco Zero. (Coleção Multiarte).

Exposições realizadas
  • EXPOSIÇÕES COLETIVAS

  • 1961 - Goiânia GO - 2º Anual de Arte do Museu de Arte Moderna , no MAM/GO

  • 1970 - Rio Quente GO - Salão do Pequeno Quadro, na Pousada do Rio Quente - prêmio aquisição

  • 1974 - Goiânia GO - Coletiva, na Galeria LPB

  • 1976 - Anápolis GO - Artistas de Goiânia, na Casa Grande Galeria de Arte

  • 1976 - Goiânia GO - 5º Festival de Música e Artes Plásticas do Estado de Goiás

  • 1976 - Goiânia GO - Coletiva, na Galeria Arte Goiana

  • 1976 - Goiânia GO - Coletiva, na Galeria Vanda Pinheiro

  • 1976 - Goiânia GO - 5º Festival de Música e Arte do Estado de Goiás

  • 1976 - Goiânia GO - 1º Salão Empresarial de Artes - prêmio aquisição

  • 1976 - Goiás - 1ª Feira de Arte de Goiás

  • 1977 - Goiânia GO - 4º Salão de Arte Frei Confaloni

  • 1979 - Goiânia GO - Salão Folha de Goiás

  • 1980 - Goiânia GO - Coletiva, na Galeria de Arte Paulo Araújo

  • 1980 - Goiânia GO - Coletiva, no Palácio da Cultura

  • 1998 - Catalão GO - 60 Artistas nos 60 Anos do Jornal O Popular, no Fórum Municipal

  • 1998 - Goiânia GO - 60 Artistas nos 60 Anos do Jornal O Popular, na Fundação Jaime Câmara

  • 1998 - Itumbiara GO - 60 Artistas nos 60 Anos do Jornal O Popular, na Casa de Cultura de Itumbiara

  • 1998 - Rio Verde GO - 60 Artistas nos 60 Anos do Jornal O Popular, no Palácio da Intendência
  •   
      :: Conheça as obras do artista