(Marco Antônio Silva Rodrigues) Nasceu em Goiânia em 20-5-1964. Artista plástico de formação autodidata, tem um extenso currículo de participação em salões e exposições.
Por ocasião de sua última individual em São Paulo, o jornalista e crítico de arte Ulisses Aesse escreveu: “Marco Rodrigues não quer muito; reinventar o suporte já foi arte muitos outros. Que o digam os instalacionistas incorporados, quem sabe, por um tal de Marcel Duchamp ou um Querosque Beraldo (Odisseu, Odisseu). Ele (Rodrigues) quer apenas economizar distâncias: as que separam o espectador das obras rebuscadas, mais próximas dos babilaques contemporâneos do que a arte propriamente dita. Fazer arte é estar de bem consigo e mais, de bem com Deus; é ele, afinal, a força motriz de tudo.”
Alberto Bautemüller, crítico de arte de São Paulo, apresentando uma individual do artista em 1996, escreveu: “O pintor Marco Rodrigues produz obra atual e atualizada, buscando um idioma plástico-visual que sirva de ligação entre o Caos e a Ordem, neste momento da arte contemporânea em que se elege como arte qualquer artifício simulado. Para isso vale-se de dois processos na realização de sua obra: primeiro, a escolha do material, diferente da tela tradicional, que o obrigou a criar uma linguagem compatível com a nova matriz; segundo, o acúmulo de linguagens superpostas, signos ancestrais retirados das cavernas, rastros da humanidade convertidos em signos virtuais da alma humana. Há ainda o sulcar cruel na “tela”, criando texturas pelo pincel quase bisturi.”
Exposições realizadas
  • - 1983/84/85: participou de coletivas na Casa Grande Galeria de Arte, em Goiânia.

  • - 1983/84/85: Coletivas na Fundação Cândido Mendes, Rio de Janeiro; na Bauhaus Galeria, Goiânia; e Levante Centro-Oeste, Brasília.

  • - 1986: Salão Primeira Mão, Santos, SP.

  • - 1986: Salão Nacional da Funarte, Brasília, e individual na Galeria Agrobanco.

  • - 1987: Coletiva 15 artistas no Museu de Arte de Goiânia.

  • - 1987: Salão Anapolino de Artes.

  • - 1988: Coletiva em Uberaba, MG, e I Bienal de Arte de Goiás.

  • - 1990: Coletiva “Homenagem a Van Gogh”, na Casa Grande Galeria de Arte, e participações na II Bienal de Arte de Goiás.

  • - 1992: Maratona 90 Horas de Pintura Contemporânea, Goiânia.

  • - 1993: III Bienal de Arte de Goiás

  • - 1993: Menção Honrosa no prêmio BEG de Artes Plásticas.

  • - 1993: I Bienal de Arte Incomum, Goiânia.

  • - 1994: Menção Honrosa no Museu Nacional de Belas-Artes do Rio de Janeiro.

  • - 1994: 1º Prêmio de Pintura no Salão BEG, Goiânia.

  • - 1994: IV Bienal de Arte de Goiás.

  • - 1994: Maratona 90 Horas de Pintura Contemporânea, Brasília e Goiânia.

  • - 1995: Individual no Museu de Arte Contemporânea, Goiânia.

  • - 1996: 1º lugar no Prêmio BEG de Artes Plásticas.

  • - 1996: Individual na Galeria Referência, Brasília.

  • - 1997: Realizou uma individual, “O Cordel do Parangolé Cristalino”, na Galeria Mário Schenberg, em São Paulo, promovida pela Funarte.

  • - 1998: Como convidado, participou da coletiva “60 Artistas nos 60 Anos do Jornal O Popular”, em Goiânia.
  •   
      :: Conheça as obras do artista