Confira, na íntegra, os textos do Catálogo da 1ª Mostra Integrada de Arquitetura Design, Paisagismo e Artes Plásticas - Projeto Bauhaus Goiás/ 94.

O Evento

O evento é ímpar no segmento de arquitetura e artes plásticas a ser realizado entre os dias 05 de outubro à 06 de novembro de 1994 em Goiânia-GO.
O Projeto Bauhaus Goiás-94 - 1ª Mostra Integrada de Arquitetura, Design, Paisagismo e Artes Plásticas será uma verdadeira fábrica de sensações com a apresentação em escala real de novas fórmulas e propostas de exploração do espaço, todas executadas por quarenta arquitetos, com materiais, equipamentos, luminárias, mobiliários, elementos decorativos e inovações tecnológicas disponíveis no mercado.
Os ambientes, todos com propostas exclusivas para o evento, apresentarão obras de:
Pinturas, esculturas, cerâmicas, tapeçarias, artesanatos e antiguidades.
No muro externo da Galeria, vinte e três artistas plásticos realizaram um grande e inédito painel com materiais diversos, para a apreciação dos visitantes.
Nas áreas externas, calçadas e jardins projetados se misturam às sibipirunas e palmeiras imperiais ali existentes.
Lançamos juntamente com o Instituto de Artes da UFG e a Faculdade de Arquitetura da UCG. O concurso sobre a Escola Bauhaus, onde todos os participantes receberão certificados e os três primeiros classificados receberão prêmios.
As noites na Galeria serão movimentadas. Dia 11 de outubro será o lançamento do livro do escritor Miguel Jorge.
Semanalmente, conjuntos instrumentais apresentarão.
O café, estará em pleno funcionamento.
Nosso entusiasmo e de todos os participantes é grande, venham também prestigiar este evento, que foi feito pensando em você.
Obrigada
Elenita

O Muro

A criação do muro no princípio era apenas uma pequena luz, um instante de criação. Assim continuaria a ser, se não fosse pela força criadora e incentivadora de um ser; não um ser comum; mas sim alguém cujo conhecimento e sensibilidade se aflora em arte.
Elenita sente, vê, capta e começa a transformar, dar volumes e a colorir; já não é mais instante e sim a própria criação que passa de um a um e começa a germinar raquítica, sem forças, é ainda alimentada pelo carisma e fé de Elenita.
São seres trabalhando, mãos orientadas pela sensibilidade e amor que dão formas e vida.
Horas de dedicação e companheirismo se entrelaçam se enraízam e de cujos galhos agora brotados somente um fruto é concebido “arte”...
E... o vazio de um muro, outrora, surge agora aos olhos o brilho de um sonho onde se misturam estilos e cores para marcar definitivamente os dez anos de pura dedicação à arte e a seus amantes.
Wagner Rezende
Artista Plástico

Depoimentos

Mais do que uma galeria, a Bauhaus é um espaço cultural aberto a todas as tendências das artes plásticas de Goiás e do País, lançando e confirmando o virtuosismo criativo de várias gerações. Talvez seja essa uma das maiores características da Bauhaus, que comemora os seus dez anos de vida lançando o Projeto Bauhaus Goiás-94 1ª Mostra Integrada de Arquitetura, Design, Paisagismo e Artes Plásticas, além de lançamento de livros, e de um concurso dirigido aos alunos da Faculdade de Arquitetura e do Instituto de Artes fundamentado na temática: Escola Bauhaus, fundada por Walter Gropius, em 1919, na Alemanha. A premiação é também original: uma cadeira estilizada da Das Haus, uma escultura (cerâmica) de Luiz Olinto, e uma tela do pintor Marco Rodrigues. Todos os alunos participantes do concurso receberão um certificado de participação.
E o processo de comemoração dos dez anos da Bauhaus prossegue, em seu movimento evolutivo, com suas mais diferentes propostas, tendo ainda como uma das suas realizações um mural de dezoito metros e trinta cm. de comprimento por dois e cinqüenta de altura, uma presença marcante, diferente de tudo o que se tem visto no gênero, pintado, esculpido, montado, criado por vinte e três artistas, entre pintores, escultores, santeiros. São eles: Henrique Santiago e Andiara, Ken, Antônio Vieira, Eleuza Mamede, Neusa Garcia, Telma Alves, Augusto Thomé, Clemente MacieI, Luiz Olinto, Denise Rocha, Xavier, Hélio (Homem de Deus) Wagner, Marilda Passos, Antunis Arantes, Marco Rodrigues, Raul Vicêncio, Prudêncio, Sival Veloso, J. Domício, Vânia Ferro, Ivana Thomé. Quarenta e um arquitetos, especialmente convidados, criaram novos espaços ambientais, jardinagem e paisagismo, para a Bauhaus. Então, pode-se dizer que um dos maiores méritos da Galeria foi o de ampliar espaços e a curiosidade cultural pela pintura, desenho, escultura, cerâmica, gravura, com cuidadosos planos contrastados, onde figuras, tonalidades, paisagens, e linhas - abstratas se inter-relacionam a nível de desafio e de dimensão ambiental. Podemos perceber que há um importante contraste tomando o espaço como o enunciador de personagens, de histórias santificadas ou não, de evidente totalidade de ajustes com a universalidade das coisas. Com efeito, o amor ao trabalho e o respeito para com as atividades artísticas permanecem como um dos pontos sólidos, um modelo direcionado por Elenita e Neiva Ferreira ao longo de muitos anos. E para anunciar uma nova fase da galeria elas permitiram que se abrissem e ampliassem novos espaços, com o rigor dos planos traçados, com o efeito de produzir um impacto visual aos seus inúmeros clientes. Surge, assim, um, novo marco na vida da Bauhaus, em sua realidade de luta em campo aberto, sem conflitos, mas, sobretudo, com o toque de forças construtoras que cercam de vitalidade e de poderes destino dos homens, do seu imaginário, das reflexões sobre a magia do ato criador em sua mais pura essência.
A Bauhaus Galeria de Arte, colhe neste ano, os efeitos críticos ao longo de uma década, não apenas visível aos que a acompanharam, nesse trajeto, mas, visível também ao público, de um modo geral, que de uma forma ou de outra tem notado a sua presença em Goiás através da relação constante entre artista e colecionador. Sobre isso vale a pena destacar o processo de orientação e de aprendizagem que cercam a direção da Galeria, influenciando com vitalidade e bom gosto o mercado financeiro,
Distinguimos, pois, as funções progressistas que confirmam o nome da Bauhaus em nosso Estado como um ponto enunciador de amplas atividades culturais, com o desejo de abrir novas possibilidades aos artistas e ao público aquecida por idéias renovadas e renovadoras.
Miguel Jorge

Foi um tempo que passou depressa. Mas as verdadeiras realizações são assim mesmo. Elas começam por desafiar o próprio tempo - e o vencem, se necessário. Vitória, em suma é a marca da trajetória da Bauhaus e dessa guerreira chamada Elenita Macêdo. No nosso primeiro contato ela tinha a companhia do Carlos Senna. Era mais uma investida séria, a Elenita, como sempre correndo contra o tempo. Venceu, claro. Liguei-me a ela desde então por um reconhecimento profissional ao mérito de quem tudo faz para fazer bem. Grata a ela, com certeza, a nossa arte, que dela tanto ganhou nesses 10 anos. Viva a Bauhaus e viva a Elenita. E salve a arte de Goiás, que tem gente assim a promovê-la e a incentivá-la.
Reinaldo Rocha

Participar do Projeto Bauhaus com Elenita é reviver a Escola Bauhaus, uma oportunidade única para nós arquitetos.
A liberdade de idéias, formas e cores é um exercício de criatividade onde Elenita e sua equipe contaminou à todos nós.
Parabéns Elenita, pelo seu grande evento e entusiasmo que abriu uma grande porta para um verdadeiro movimento artístico em Goiás.
Wilma V Guimarães

 

Depoimentos

A Bauhaus faz dez anos!
Eu a vi nascer e parece que foi ontem. Precoce, pôs-se de pé e andou cedo, fez muitos amigos, tagarelou, sorriu e encantou.
Se fosse mulher, os seus dez seriam dezoito anos. Está muito bonita, independente e cortejada.
Estou com impressão de que está me jogando charme. A cautela me aconselha e eu disfarço.
Não! Eu não sou seu pai.
Gostaria de ser o seu eleito.
Eu mereço, já lhe dei até o meu quarto, a minha cama, e como se isso não bastasse me expulsou de casa.
Vá lá, maltrata que eu gosto.
Felicidades
Humberto Gomes de Macêdo

A idéia de se montar um espaço onde a arte pudesse se manifestar em toda sua plenitude e em todas as suas formas fez com que Antiquarius e Bauhaus se unissem em um mesmo local, há dez anos atrás. Assim é que móveis mineiros, esculturas, peças inglesas e francesas, aquarelas, móveis art-nouveau e pinturas à óleo puderam conviver harmoniosamente e despertar a sensibilidade de diferentes gerações.
Maria Luiza Rocha de Siqueira
Sílvia Regina Fontoura de Siqueira

É importante o artista ter a criatividade, executar um bom trabalho e ter apoio de uma pessoa como Elenita.
Luiz Olinto

Elenita mulher amiga e companheira, sempre fiel aos seus princípios. De uma tenacidade inquestionável, dona de uma energia benéfica, envolvente e absoluta.
Como é gratificante participar de suas metas! Invariavelmente sobra um saldo positivo...
Parabéns pelos 10 anos de luta em prol da Bauhaus.
Mara Vasconcelos Pinheiro

Ao lado da Elenita, como na Escola Bauhaus, sempre há alvoroço, pois é impossível, cada um não participar intensivamente na sua tarefa.
Os anos passaram e Bauhaus se faz presente. Você Elenita é Bauhaus. Sempre será presença.
Parabéns pelos dez anos de luta e inovações.
Neiva Ferreira Gomes

Desde a criação da Galeria de Arte Bauhaus, eu acompanho a Elenita na sua jornada artística.
Sempre com muita garra, dedicação e entrega total, tentando fazer da arte não um simples produto de marketing, mas um acontecimento histórico - cultural. Por isso, muito me satisfaz apoiá-la neste seu empreendimento em que diversas manifestações artísticas são valorizadas e transmitidas num clima de autêntica escola “Bauhaus”, ou seja, liberdade criadora.
Parabéns Elenita
LíIian Camargo E. de Godoy


Falar de Elenita é ao mesmo tempo muito difícil e muito fácil, muito dificil porque as grandes amizades não são passíveis de definição. E além de uma grande mulher, uma fantástica profissional e incansável defensora e promotora das artes em nosso Estado, Elenita é sobretudo muito minha amiga. Muito fácil porque pessoas assim são únicas e o resultado de seu trabalho está sempre a olhos vistos.
Os meus, os nossos, os olhos de Goiás agradecem por testemunharem este exemplo de vida.
Parabéns Elenita pelos 10 anos da Bauhaus.
Taquinho

Ao longo dos dez anos da Galeria Bauhaus, (1984-1994), vivenciamos muita luta, garra, determinação, vontade e muitos sonhos a serem realizados.
E o testemunho de um trabalho sério e notável no cenário das Artes em Goiás.
Elenita, quando nossa aluna no Instituto de Artes da UFG - dinâmica, criativa, estudiosa, interessou-se de maneira singular em pesquisar sobre a “Escola Bauhaus” que segundo o seu fundador Walter Gropius, a arte deveria superar a fase artesanal e suprir-se de todos os meios de produção, trabalhando com materiais diversificados, empregando diferentes técnicas, com liberdade de criação, respeitando os conceitos da geometria, desenho, volume, cores, etc.
Da filosofia aberta à criação, surgiu a grande paixão pela Bauhaus, onde deu origem ao nome da Galeria.
Aconteceram as reuniões envolvendo diversos setores da sociedade. A vontade de criar um espaço de ensino onde a criatividade seria o ponto forte, não foi possível naquele momento. Mas partiu-se para a criação da Galeria - não simplesmente uma Galeria com a intenção de “Mercado de Arte”, muito mais que isto, com o objetivo da formação da consciência estética, levando ao público conhecimentos sobre a Arte. Exposições de artistas goianos, palestras, cursos de Educação Artística e de técnicas foram levados ao interior goiano, em convênio com as prefeituras - o projeto cresceu.
Foi aí que, em 1984 recebemos o apoio de nossa Magnífica Reitora Maria Cassimiro, da Pró-Reitoria de Extensão e do Instituto de Artes - UFG, assumindo eu a coordenação do Projeto Oficina Itinerante de Artes, no IA, responsável pela orientação dos professores e cursos - e Elenita com a coordenação geral e execução do Projeto. Foi trabalhoso mas valeu a pena, colhemos os frutos.
Do sonho à realidade, a Galeria Bauhaus atinge o seu objetivo: impulsionando os artistas a criarem cada vez mais, enfrentando novos desafios, consolidando o apoio aos já profissionais e incentivando os valores novos no aprimoramento de seus trabalhos.
Em evolução constante, a Galeria mostra ao grande público, sem preconceitos, que cada região tem a sua maneira própria de existir, de morar, de pensar, de se expressar ligada às suas origens, suas raízes, costumes e cultura, e que há artistas de talento em todas as regiões brasileiras, não só no eixo São Paulo/Rio de Janeiro.
Hoje, numa concepção cristalizada, a casa estruturada, sempre acolhedora, se transforma em um centro orgânico, que se desdobra e evolui em sua lógica natural, construindo uma geometria que permite a integração perfeita da Arquitetura, Design, Paisagismo e Artes Plásticas.
Enfim o projeto ganha um significado a mais, enriquecido pelo trabalho dos profissionais, abrangendo espaço para pequenos e grandes eventos na área.
Elenita - sensível, estudiosa, não abandona a investigação estética, porque sua filosofia de vida não permite que ela seja uma simples marchand. Para ela, uma obra de arte transcende a sua própria forma física, não podendo portanto ser avaliada de modo taxativo. Ela será sempre uma grande promotora de Arte, principalmente dos artistas goianos.
Em sintonia com seu tempo, monta um esquema, a fim de levar para São Paulo a beleza da arte de nossa região.
E tudo isto não será possível sem o apoio da família; do Humberto, da Neiva, com muita garra - colaborando efetivamente, dos filhos e dos pais. Dos profissionais-artistas e professores, dos amigos e de, diversos setores da sociedade.
Parabéns Elenita, parabéns Galeria Bauhaus ao completar seus dez anos de êxito; promovendo e selecionando beleza, estilo e qualidade - fazendo o intercâmbio com outros Estados, valorizando e respeitando o artista como o grande criador da obra que concebeu com amor, cuja emoção acalenta a idéia e o simbolismo.
Maria Apparecida Tallon

Goiânia, setembro de 1994.